VILA NOVA | Biblioteca Pública Municipal “Patativa do Assaré” completa 15 anos, conheça a história


A Biblioteca Patativa do Assaré, com um acervo composto por mais de 12 mil livros, revistas, história em quadrinhos, cordéis, audiolivros e DVDs, consolidou-se como um espaço de aprendizagem com leitura, troca de ideias e interação entre os frequentadores (739/mês). Com a missão de formar leitores e a certeza de que, como nos diz Leonardo Boff: “Ler significa reler e compreender, interpretar. Cada um lê com os olhos que tem. E interpreta a partir de onde os pés pisam.”
Assim como a primeira grande biblioteca, a de Alexandria, além de livros, ao longo de seus 14 anos conseguiu plantar muitas sementes, dentre as quais: lançamentos de livros com a presença dos autores, exposições, recitais de poesia, peças teatrais, congressos, oficinas, seminários, espetáculos musicais.
Conheça a história da Biblioteca Patativa do Assaré:
Fundada em 28 de Setembro de 2001 com a missão de contribuir para a formação de leitores críticos e sujeitos de sua própria história a Biblioteca Pública Municipal “Patativa do Assaré” possui no seu acervo mais de 12.600 (doze mil e seiscentos) livros catalogados. A Biblioteca tem um grande número de frequentadores mensais formado por um público de crianças, adolescentes e adultos.
Já são 15 anos de história, plantando muitas sementes e promovendo inúmeras atividades como; lançamentos de livros com a presença dos autores, exposições, recitais de poesia, peças teatrais, congressos, oficinas, seminários e espetáculos musicais.
Abaixo texto escrito pelo Professor Francisco de Assis Sousa relatando o momento de fundação da Biblioteca:
“Meninos, eu vi!!! Ou melhor, participei ativamente do evento de inauguração da Biblioteca Pública municipal Patativa do Assaré. Quente era a manhã de sexta-feira, 28 de setembro de 2001, quando um alvoroço de professores, estudantes, pais de alunos, autoridades e pessoas da comunidade se aglomeravam em frente a um pequeno prédio, localizado na avenida Santo Antônio, tipo armazém para guardar sacas de feijão, castanha de caju, milho e outros legumes oriundos da colheita. Com frente amarela, a inscrição acima do portão não apontava para um depósito de cereais. Lá estava escrito em tinta azul: Biblioteca Pública municipal Patativa do Assaré.
Nascia ali um sonho de mentes incansáveis que ambicionavam construir um município diferente, de leitores com mentes livres e saudáveis. Na época, a secretaria de educação tinha a frente, a professora Núbia Rocha e na coordenação pedagógica, a professora Marli Veloso. Semanas e semanas passei em ensaio constante com os alunos de 7ª e 8ª série da U. E. Sabino Gomes de Lima. Era preciso estar preparados para apresentarmos ao público a poesia do homenageado, que nasceu, cresceu e virou mito na Serra de Santana, no sertão torrente do semiárido cearense, no pequeno município de Assaré e ganhou o mundo.
Os livros: Inspiração Nordestina, Ispinho e Fulô e Cante Lá Que Eu Canto Cá serviram de referência para o nosso trabalho. Nordestinos, Sim. Nordestinados, Não., A Triste Partida, Vaca Estrela e Boi Fubá, Eu quero, A Terra é Nossa, O Poeta da Roça entre outros, foram poemas apresentados em forma de recitais, jograis, corais e peça teatral de cima da carroceria de um caminhão, tipo 608, debaixo de um sol a pino que nos rachava a pele e fazia arder os olhos.
alunos-e-professor-durante-uma-aula-na-biblioteca
Naquele dia, o povo vilanovense assistia com atenção, o nascimento de uma filha que abraça e acolhe a todos sem distinção. Dissemina ‘sabença’, como diria Patativa, para homens, mulheres e crianças; alavanca sonhos e, sobretudo, a esperança de que nem tudo ainda está perdido. Hoje, instalada em outro endereço – na Avenida Central – e com um espaço maior, seu acervo remonta em, aproximadamente, 12 mil títulos. É, sem dúvida nenhuma, o nosso maior patrimônio. Viva a Biblioteca Pública municipal Patativa do Assaré!”
Fonte: ASCOM/Secretária de Cultura e Biblioteca
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: