Prefeito Edilson Brito se reúne com governador para tratar da crise hídrica em Vila Nova

Prefeito Edilson Brito se reúne com governador para tratar da crise hídrica em Vila Nova

Com o objetivo de buscar soluções e evitar uma crise hídrica que já sofre o município de Vila Nova do Piauí, o prefeito Edilson Brito esteve reunido com o governador do Estado, Wellington Dias, na manhã desta segunda-feira, 05, no Palácio de Karnak em Teresina. Edilson esteve acompanhado do vice-prefeito Antônio Tiago.
A reunião contou com representantes da Bancada Federal, dos Gabinetes dos Senadores, da Codevasf, Funasa, APPM, Exército, Defesa Civil, Semar e dos municípios de Campo Grande, Fronteiras, Pio IX e São Julião. Municípios estes que são abastecidos pela Barragem de Piaus que opera atualmente com apenas cerca de 5% da capacidade.
Edilson reivindicou na ocasião mais poços tubulares para a sede e zona rural. Na semana passada Edilson já havia se reunido com Wellington Dias e assegurou a recuperação da parede do açude da localidade Retiro. O gestor municipal também assinou na semana passada um convênio de cerca de 3,7 milhões para a implantação de uma adutora na zona rural do município.
“Estamos sempre em busca de alternativas que atendam às necessidades do nosso povo, um delas é a água. A reunião foi bastante proveitosa para traçarmos estratégias de combate a crise hídrica na nossa região com a capacidade da água da barragem de Piaus que diminui a cada dia e hoje é nosso principal manancial, é necessário e urgente que comecemos o racionamento e a conscientização para o consumo controlado”, disse Edilson.
Na reunião o Governador decidiu anunciar um decreto de racionamento da água em pelo menos 40 municípios piauienses. A orientação é de que sejam consumidos, diariamente, de 50 a 70 litros de água por família. “Isso se fará necessário por causa da seca que se prolonga. Nessas regiões há barragens e adutoras, mas tivemos expectativas frustradas de chuvas e a situação se agravou. A prioridade será o abastecimento de água para o consumo humano, mas também nos preocuparemos com os animais, que necessitam de água e pastagem para a sobrevivência. Com o esforço de todos, acredito que vamos conseguir ultrapassar esse momento desafiador”, destacou Wellington Dias.
Além do racionamento de água, serão tomadas medidas, a curto, médio e longo prazo, para a garantia da segurança hídrica nas regiões que mais sofrem com a falta de água. “Neste ano iremos estudar de maneira mais criteriosa os poços tubulares já existentes nas regiões, equipando-os e otimizando a distribuição da água por meio da operação pipa do governo federal e do exército na zona rural, além da operação pipa da Defesa Civil, Agespisa e DNOCS na zona urbana”, atentou o presidente da Associação Piauiense de Municípios, Gil Carlos.
FONTE: ASCOM PMVN
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: