Queimada provoca queda de energia no Piauí

Mais de 112 mil consumidores tiveram o seu fornecimento de energia elétrica interrompido por conta de queimadas em 2016, com cada interrupção durando, em média, 72 minutos. Os dados são da Gerência de Qualidade de Serviço Técnico da Eletrobras Distribuição Piauí. A empresa orienta para que os consumidores não façam queimadas nas imediações de postes, antenas, subestações ou quaisquer outras instalações elétricas.

Imagem Ilustrativa

A empresa recomenda ainda que, no campo, os produtores abandonem essa prática arriscada que empobrece o solo e optem por técnicas mais sustentáveis no manejo das pastagens e, que na cidade, os moradores não usem do fogo para “limpar” lixões e terrenos baldios.

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) dão conta que, só nos dois primeiros dias de outubro, 102 focos de incêndio foram registrado no Estado. Santa Filomena, Baixa Grande do Ribeiro, Uruçuí e Gilbués são os municípios campeões em queimadas, segundo dados do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

Nestas circunstâncias, em que condições climáticas se somam à desinformação, o uso do fogo é uma ameaça ao fornecimento de energia elétrica. Isso porque as chamas, quando próximo às redes de distribuição, danifica os cabos e estruturas, aumentando o risco de curtos-circuitos e, consequentemente, a interrupção do fornecimento do serviço, sem falar nos possíveis danos à segurança e a saúde de quem vive nestas áreas. 

A população em geral pode ajudar a Eletrobras Distribuição Piauí denunciando queimadas e incêndios próximos à rede elétrica, por meio do fone 0800 086 0800, e também ao Corpo de Bombeiros, pelo fone 193, acionando o Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (PREVFOGO), uma divisão especializada na prevenção, pesquisa, monitoramento e combate às queimadas em áreas de extensa vegetação.

Fonte: Cidade Verde
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: