Mulher conhece marido pela internet e sai do PI para morar na Europa

14 junho
De lá até os dias atuais, foram dias de felicidade para o casal. Alexsandra ressalta que “vive para cuidar do Sérgio e os dois têm um ao outro”

                                              Mulher conhece marido pela internet e sai do PI para morar na Europa
Um conselho mudou a vida de Alexsandra e o levou ao encontro do amor de sua vida. Ela é de Teresina; ele da Argentina. No início, a internet uniu os dois. Mas foi o sentimento pelo amado que levou a teresinense a morar fora do país. Após mais de dois anos de namoro virtual, finalmente, ele se encontraram pela primeira vez e hoje moram em Londres, na Inglaterra.

Alexsandra conta que conheceu o marido em um site de relacionamentos. Ela relembra que fazia um curso de extensão em Espanhol e, por orientação da professora, resolveu ir em busca de um nativo para aperfeiçoar a língua espanhola.

“Eu perguntei para a professora qual a melhor forma de aprender Espanhol e ela me orientou a conversar com um nativo da língua pelas redes sociais. Então, me inscrevi em um site relacionamentos com esse intuito, não foi pensado em outra coisa, pois na época, eu não acreditava muito nisso, achava perigoso. Jamais pensei que me apaixonaria por alguém que eu não conhecia. Procurei vários nativos, e via a foto dele em um barco… perguntei para uma amiga: eu converso com esse? ela respondeu que sim e disse que achava ele bonito e charmoso”, relembra.

A teresinense conta que resolveu enviar uma mensagem e a resposta foi imediata. Os próximos passos foram a troca de emails e números de telefones. Com receio, ela passou apenas o contato do celular. “O Sérgio me pediu um número de telefone fixo, mas fiquei muito desconfiada e repassei apenas o celular. Três dias depois, ele me ligou e foi uma coisa incrível: eu mal sabia falar a língua, porém a gente se comunicou, se entendeu e conversamos bastante como se a gente já se conhecesse há muito tempo. Depois, as mensagens pelo celular ficaram mais frequentes”, conta aos risos.

Encorajada, Alexsandra resolveu informar o número do telefone de casa, o que acabou transformando os seus sábados e as mensagens em ligações telefônicas com mais de duas horas de duração. E foram assim por dois anos. Ela lembra que, neste período, a distância ameaçou separar o casal.

Tivemos momentos de dúvidas. O Sérgio chegou a dizer que não ia dar certo e paramos de nos falar. Na época, ele morava na Espanha, mas era da Argentina e lá é muita burocracia. A única saída que eu vi foi trazê-lo para o Brasil para que ele me conhecesse e a minha família também. O Sérgio sempre marcava e não dava certo de vir para Teresina e por três vezes ficamos afastados, cerca de um mês, sem nos falarmos. Eu sempre acreditei que ia dar certo. No início, tive medo chegar na Espanha e encontrar uma namorada dele…escutamos muitos casos assim”, conta.

“Um dos melhores dias da vida de Alexsandra” ocorreu em um mês de janeiro. O então namorado veio para a Capital do Piauí e ficou por 25 dias. Em seguida, a teresinense recebeu o convite de conhecer a Espanha. Ela conta que optou por morar fora do país pela qualidade de vida.

“Era para eu passar apenas um mês na Espanha, mas gostei tanto que resolvi adiar e ele me surpreendeu com um pedido de casamento. Para mim não foi difícil sair de Teresina. Acho que estava bastante decidida. Já havia passado três meses na Espanha e tinha gostado. Pensamos na qualidade de vida. Na época, a melhor qualidade de vida era morar na Espanh. A parte difícil foi deixar a família”, disse Alexsandra.

Superada a distância entre países, o casal enfrentou outra batalha para o enlace matrimonial.

“Foi um processo bastante burocrático na Espanha. Lutamos por quatro anos e meio para casarmos na Justiça Espanhola e mesmo assim não conseguimos. Pela nossa história, eles pensavam que era casamento arranjado para eu ter a nacionalidade espanhola. Por fim, em 2013, viemos ao Brasil e nos decidimos casar porque já havíamos esgotados todos os recursos na Espanha para casar. Foi uma cerimônia bem simples e rápida, mas de coração, porque estavam a minha família e a dele”, relembra.

A partir de então, ela passou a se chamar Alexsandra Soares Uriel casada com Sérgio Gustavo Uriel, que trabalha como técnico em eletricidade de alta tensão.


A teresinense conta que o casamento ainda teve que ser registrado no Consulado Espanhol na Bahia, onde ocorreu a lua-de mel do casal. “Eu tenho duas certidões de casamento. É como se eu tivesse casado em dois países”.

Juntos, o casal viajou para Portugal, Espanha, Argentina, Bélgica, França e Inglaterra. “O que mais gostamos é de viajar e assistir uma boa série”, reitera.

De lá até os dias atuais, foram dias de felicidade para o casal. Alexsandra ressalta que “vive para cuidar do Sérgio e os dois têm um ao outro”.

O casal não tem filhos juntos e como planos para o futuro estão viabilizando fixar moradia em Londres.

Fonte: Cidade Verde
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: