Padre Wagner confirma saída da Paróquia de Padre Marcos e fala sobre novos projetos. Veja!

-------------------------------------------------------------------------------
Após três anos e seis meses à frente da Paróquia de Santo Antônio, com sede na cidade de Padre Marcos, o padre Wagner Francisco de Sousa Carvalho se prepara para uma nova missão. Ele vai voltar aos estudos religiosos em Roma, capital da Itália. O sacerdote concedeu uma entrevista exclusiva ao portal Cidades na Net, onde falou sobre sua saída da Paróquia e os novos projetos.
A Paróquia de Santo Antônio foi a primeira onde o sacerdote atuou como pároco. Ao longo desse período, desenvolveu um brilhante trabalho como evangelizador, fortalecendo as pastorais, pelas quais a Igreja realiza a sua missão, que consiste em continuar a ação de Jesus Cristo.
Atualmente, a Paróquia conta com 22 pastorais. “Temos pastorais que cuidam desde da preparação do nascimento da criança, que a Pastoral da Criança, até o último momento da passagem da pessoa aqui na terra, que é a Pastoral da Esperança que está presente nos velórios, nas celebrações de corpo presente, de aniversário de morte. A Pastoral da Pessoa idosa, por exemplo, é formada por 22 integrantes, e nas quatro cidades eles acompanham 556 pessoa idosas. Enfim, temos pastorais muito eficientes”, disse.
Além disso, a Paróquia conta com três movimentos que estão ligados à Igreja. “Temos mais ou menos 500 pessoas ligadas diretamente a nossa Igreja de diversas formas, seja nas pastorais, o grupo de casais, os grupos de jovens, a catequese, a infância missionária,
Outro importante trabalho foi com relação ao patrimônio da Paróquia, com a reforma e construção de novas Igrejas. “Em 2012, quando chegamos, eram 28 comunidades formadas nas quatro cidades. Nesse período nós reformamos as 27 Igrejas. Em Belém, nós estamos construindo uma nova Igreja. Até março, nos festejos, ela já estará pintada. Aqui em Padre Marcos, foi feita a troca do carro, reformamos a Igreja Matriz, a sacristia, a secretaria, adquirimos equipamentos novos e reformamos a casa paroquial. Foram muitas as realizações e o sentimento é de dever cumprido”, pontuou.
Para o padre Wagner, o sentimento é de gratidão. “Primeiro a Deus, e depois a todos as pessoas que nos acompanharam nessa caminhada ao longo desses anos. Todo esse crescimento que citei é uma conquista conjunta. Quero aqui agradecer a todos, por tudo. Não tive dificuldade de trabalhar com as instituições. Pelo contrário, aqui fizemos muitas parcerias. Para mim, foi um período de amadurecimento e crescimento pessoal, como também, de paz sacerdotal. Por isso, quero mais uma vez agradecer a todos que me ajudaram a ser padre nesta terra, uma terra que acredito que é santa, que embora tenha tantas dificuldades, vê-se a alegria nos rostos e nos corações das pessoas. Os padres que passaram por aqui construíram sua história, isso deixa perceber que é uma terra santa, uma terra que acolhe os padres, que ama os padres, e que por isso, deixa uma marca no coração”. Em seu pronunciamento, no dia de sua posse como pároco, o padre Wagner afirmou que Padre Marcos seria seu primeiro amor. “E não me decepcionei!”
Sobre sua saída e os projetos futuros, o sacerdote informou que deverá deixar a Paróquia logo após o festejo de Santo Antônio, que acontece no mês de junho. Segundo ele, houve uma reunião dos padres da Diocese de Picos com bispo dom Plínio José, onde se discutiu a necessidade de um padre aprofundar os estudos. “É um mestrado com foco em catequese. Irei morar no colégio Pio Brasileiro, que é formado por padres da América Latina, sobretudo, do Brasil. Lá, irei estudar por dois anos na Universidade Pontifícia Salesiana. Se trata de um projeto de Igreja, não é um projeto pessoal. Estou indo em nome da Igreja, por obediência, mas, também não deixa de ser um desejo de qualquer padre ter a oportunidade de estudar e se aperfeiçoar, sobretudo, em Roma”.
Sobre sua sucessão na Paróquia, o padre Wagner informou que, oficialmente, ainda não um substituto. “Nossa paroquia já tem uma caminhada, tem um histórico de fé, tem um processo trabalhado elaborado. Então, é bem verdade que o próximo pároco seja um padre que consiga conduzir e dar continuidade ao que tem sido feito”, salientou.
Fonte: Cidades na Net



CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: