Domingo, 26 de Setembro de 2021
27°

Poucas nuvens

Vila Nova do Piauí - PI

Senado Federal Senado Federal

Doações a fundos para pessoas com deficiência poderão ser deduzidas do IR

No dia da abertura dos Jogos Paralímpicos de Tóquio e na Semana da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla, a Comissão de Assuntos Econômicos...

24/08/2021 às 13h40
Por: Redacao Fonte: Agência Senado
Compartilhe:
Telmário Mota (à dir.) lê relatório de Omar Aziz na reunião da CAE, presidida por Otto Alencar (à esq.) - Jefferson Rudy/Agência Senado
Telmário Mota (à dir.) lê relatório de Omar Aziz na reunião da CAE, presidida por Otto Alencar (à esq.) - Jefferson Rudy/Agência Senado

No dia da abertura dos Jogos Paralímpicos de Tóquio e na Semana da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla, a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) aprovou nesta terça-feira (24) um projeto do senador Romário (PL-RJ) que permite deduzir do Imposto de Renda as doações feitas aos fundos controlados pelos conselhos de direitos das pessoas com deficiência.

Já aprovado na  Comissão de Direitos Humanos (CDH), o PLS 338/2017 é terminativo e seguirá diretamente para a Câmara dos Deputados, se não houver recurso de senadores para votação em Plenário. Foram 16 votos favoráveis e 2 contrários — do senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) e Eliane Nogueira (PP-PI).

Hoje é possível deduzir doações feitas aos fundos controlados pelos conselhos estaduais, municipais e nacionais do idoso e das crianças e adolescentes. O limite é de 6% do imposto devido — percentual que é compartilhado também com doações a projetos culturais, esportivos e de audiovisual. O projeto amplia essa possibilidade aos conselhos ligados às pessoas com deficiência, ao modificar a Lei 9.250, de 1995.

"É necessário garantir recursos para que os direitos sejam respeitados. Investimentos em educação, capacitação para o trabalho, saúde, pesquisas, moradia, divulgação dos direitos e em tudo que possa significar mais acessibilidade e inclusão são necessários para que a lei ganhe vida. Sem dinheiro, sabemos que muitas das mais elevadas aspirações do ser humano não saem do papel", defende Romário.

Renúncia de receita

A renúncia de receita foi estimada pela Consultoria de Orçamentos, Fiscalização e Controle do Senado em R$ 20,7 milhões em 2018, R$ 22,7 milhões em 2019 e R$ 25 milhões em 2020. 

Já o Ministério da Economia estimou a renúncia de receita potencial em valores bem superiores: R$ 11,4 bilhões em 2020, R$ 11,7 bilhões em 2021, e R$ 12,6 bilhões em 2022.

O relator na CAE, senador Omar Aziz (PSD-AM), acredita que a renúncia de receita será muito mais próxima dos R$ 25 milhões estimados pela Consultoria do Senado do que dos cerca de R$ 12 bilhões previstos pelo Executivo. Isso porque o limite de dedução de 6% será mantido — a mudança é que ele poderá ser compartilhado também com as doações para fundos de pessoas com deficiência.

“Ao manter o limite de dedução vigente, o PLS não dá ensejo ao aumento do potencial de renúncia de receitas. Apenas habilita os fundos dos direitos das pessoas com deficiência a competir pelas doações das pessoas físicas com as demais destinações”, argumenta Omar Aziz no parecer.

O presidente da CAE, Otto Alencar (PSD-BA), ressaltou que senadores têm preocupação com responsabilidade fiscal e apontou que a estimativa de impacto orçamentário do governo está superestimada. Segundo Otto, o governo não encaminhou os cálculos sobre outros projetos de renúncia solicitados pela comissão. 

— Encaminhei todas as matéria de renúncia fiscal para o senhor ministro da Economia, Paulo Guedes. Já provoquei três vezes o ministério para encaminhar as respostas. Até agora não foi encaminhada nenhuma. Se não responder, vou ter que trazer as matérias [à discussão] e designar relatores — apontou Otto.

Ao justificar seu voto contrário ao projeto, Flávio Bolsonaro alegou que "cada centavo conta" no momento orçamentário do país.

Recursos aos conselhos

O relator manifestou apoio ao projeto: “Concordamos com a análise feita na CDH, no sentido de que a proposição é totalmente pertinente, pois favorece a dotação de recursos para tornar exequível o Estatuto da Pessoa com Deficiência”, sustenta Omar. O senador apresentou uma emenda para que, caso sancionada, a nova lei produza efeitos durante cinco anos. 

Telmário Mota (Pros-RR) leu o relatório de Aziz durante a reunião desta terça-feira.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Vila Nova do Piauí - PI Atualizado às 08h41 - Fonte: ClimaTempo
27°
Poucas nuvens

Mín. 20° Máx. 34°

Seg 34°C 19°C
Ter 33°C 20°C
Qua 33°C 21°C
Qui 33°C 20°C
Sex 37°C 23°C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Enquete