radio vila nova fm
2019
vlnet2
TV
Portal É Notícias
vlnet1
RESFRIAR
#Revolução

Segundo paciente é curado do HIV com transplante de células-tronco

O transplante de células-tronco ocorreu em 2016, de um doador portador da mutação genética que só é encontrada em 1% da população mundial.

05/03/2019 17h08
Por: Redacao
Fonte: http://br.rfi.fr, Com informações da AFP
Paciente recebe fitinha vermelha que simboliza a campanha mundial contra a Aids, que atinge 37 milhões de pessoas no mundo.
Paciente recebe fitinha vermelha que simboliza a campanha mundial contra a Aids, que atinge 37 milhões de pessoas no mundo.

Mais um paciente portador do vírus HIV, o segundo no mundo, conseguiu se curar da doença mesmo depois de interromper o tratamento contra a Aids. O anúncio oficial do avanço médico, publicado na revista científica Nature, será feito nesta terça-feira (5).

Dez anos após a cura de um primeiro paciente com Aids, uma segunda pessoa, identificada apenas como "o paciente de Londres", parece não ter mais o vírus HIV mortal em seu organismo, 19 meses após o fim de tratamento contra a doença. Os dois pacientes receberam transplantes de medula para tratar câncer no sangue, recebendo células de doadores que apresentam uma mutação genética rara que impede o HIV de se instalar no organismo.

O transplante mudou o sistema imunológico do "paciente de Londres", dando a ele a mesma resistência do doador. O resultado renova as esperanças de cerca de 37 milhões de pessoas portadoras do vírus no mundo, já que os tratamentos antirretrovirais prolongam a vida dos infectados pelo HIV, mas não eliminam o vírus.

Esperança

Apenas 59% dos portadores têm acesso aos medicamentos, e 1 milhão de pacientes morrem de Aids a cada ano. A aparição de uma nova forma de HIV, resistente a medicamentos, preocupa os especialistas.

 
 

“Ao conseguirmos uma remissão de um segundo paciente utilizando técnicas similares, nós mostramos que o ‘paciente de Berlim’ não foi uma anomalia”, declarou o principal autor do estudo, o pesquisador Ravindra Gupta, professor de Cambridge, no Reino Unido. Ele se referia ao primeiro caso mundial de cura do HIV. “Atualmente, a única maneira de tratar o HIV é pelo uso de medicamentos que contêm o vírus e que os pacientes devem tomar durante toda a vida”, esclareceu o Dr. Gupta.

Procedimento não pode ser usado em todos

Uma questão importante, sublinhou o pesquisador, é que o transplante de medula – um procedimento perigoso e doloroso – não é uma opção viável de tratamento para os milhões de portadores do vírus. Mas o progresso da pesquisa vai permitir aos cientistas focalizar as estratégias de tratamento.

“Encontrar um meio de eliminar completamente o vírus é uma prioridade urgente e global, que é particularmente difícil porque o vírus penetra nos glóbulos brancos do infectado”, explicou o Dr. Gupta.

A façanha será apresentada nesta terça-feira em uma coletiva de imprensa da equipe médica que realizou o experimento, em Seattle, nos Estados Unidos. O “paciente de Londres” foi infectado pelo vírus em 2003, no Reino Unido, e recebeu um tratamento antirretroviral desde 2012. No mesmo ano, ele foi diagnosticado com um tipo avançado da doença de Hodgkin, um câncer no sistema linfático.

Com informações da AFP

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Vila Nova do Piauí - PI
Atualizado às 18h00
26°
Muitas nuvens Máxima: 33° - Mínima: 22°
27°

Sensação

10.3 km/h

Vento

59%

Umidade

Fonte: Climatempo
PatyStore
Blogs e colunas
Equipe R&R - Sua ideia é tudo!
Últimas notícias
Mais lidas