Wellington Dias 49%, Firmino 9,3% e Wilson Martins 5% em pesquisa para governador


Se conseguir manter o ritmo, Wellington Dias (PT) tem tudo para vencer com folga em 2018, quando disputará a reeleição para governo do Estado. Em pesquisa BrVox, encomendada pelo 180graus, o petista aparece com 49,08% das intenções de voto, com boa vantagem do segundo colocado no levantamento estimulado, o prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB), que somou 9,31%.

O terceiro melhor na pesquisa é o ex-governador Wilson Martins (PSB), que já deixou bem claro seu desejo pela disputa majoritária. Somou 5% das intenções de voto entre os 1.300 entrevistados. Em seguida aparece Sílvio Mendes (PP), com 4,15%.

Os peemedebistas Elmano Férrer, com 3,77%, e Marcelo Castro, somando 2,62%, estão melhor na pesquisa do que o ex-senador João Vicente Claudino, ainda sem partido. Somando 1,92% das intenções de voto, ele seria uma das apostas da oposição para disputar contra W.Dias, justamente por estar afastado da política.

Mesmo com o distanciamento, é melhor que Ciro Nogueira (PP). Somente 1,46% disseram que votariam no senador, caso ele seja candidato em 2018. Dos nomes sondados na pesquisa, o de João Henrique Sousa (PMDB), foi preferência de apenas 6 pessoas entrevistadas, o que corresponde a 0,46%. Na oposição, ele não concorda com a aproximação entre seu partido e o governo W.Dias, e aposta que este namoro não vá durar até 2018.


Os indecisos somaram 15,77%, e os que responderam Nenhum/Nulo/Branco, 6,46%.

CONFRONTOS DIRETOS
O BrVox simulou cinco possíveis embates para 2018, e em todos os cenários do governador Wellington Dias aparece com vantagem, obtendo mais de 50% da preferência entre os entrevistados. A vantagem é menor quando o confronto é com Firmino Filho. O atual governador soma 58,69%, contra 18% do prefeito da capital. Indecisos são 7,15% e Nenhum/Nulo/Branco, 16,15%.


Os números sustentam a tese, de setores da oposição, de que Firmino seria o melhor nome para enfrentar o governador nas próximas eleições. O prefeito não demonstra publicamente vontade pela disputa. Além disso, mantém bom relacionamento com o governador, apesar do PSDB se manter na oposição.

Sílvio Mendes tem o segundo melhor desempenho contra W.Dias, quando simulados os confrontos diretos. O médico obteve percentual de 13,31%, contra 61,54% do governador petista. Recém filiado ao PP, Sílvio foi anunciado com festa. Mas os propósitos de Ciro com o ex-tucano chegando ao seu partido, ainda não ficaram bem claros. Neste cenário, 8,85% responderam Não Sabe/Não Opina, e 16,31% disseram Nenhum/Nulo/Branco.


O ex-governador Wilsão somou 12,08% na simulação de embate direto com Dias. O petista manteve a média, obtendo 61,31% de preferência. Contra Ciro e João Vicente Claudino, o governador obteve preferência de 62,69% e 63,08%, respectivamente.

A pesquisa BrVox foi realizada entre os dias 22 e 27 de março – finalizada ao meio dia desta segunda-feira – e ouviu eleitores de 46 cidades, incluindo Teresina. A margem de erro é de 2,79%, e o nível de confiança é de 95%.


_________________________

NÚMEROS PARA SENADOR

Em pesquisa BrVox encomendada pelo 180graus, realizada em 46 cidades do Piauí, o prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB) aparece em primeiro nas intenções de voto para senador, em 2018. No cenário atual, pouco mais de cinco meses após ter sido reeleito prefeito da capital piauiense, o tucano soma 14,92% da preferência entre 1.300 eleitores entrevistados.

Apesar de já ter afirmado que não pretende deixar o mandato na PMT para disputar nas próximas eleições, em política, qualquer declaração pode ser perecível. Muitas não duram uma noite. Cortejado, o nome de Firmino é por alguns apontado como o oponente ideal para Wellington Dias (PT).

A vantagem é larga diante do segundo na pesquisa, o deputado federal Marcelo Castro (PMDB). Com 8,31% de preferência no levantamento estimulado, o parlamentar diz que pretende concorrer novamente à vaga na Câmara Federal, mas sua experiência como Ministro da Saúde e a (re)aproximação do PMDB com o Karnak, já elevam o nome de Castro como possível candidato a senador.

O médico Sílvio Mendes (PP), atualmente no comando da Fundação Municipal de Saúde de Teresina, tem 8,08%. É a ostentação – e a carta na manga – de Ciro Nogueira, afinal, deixou o ninho tucano para pousar nos galhos do Partido Progressista, empurrando para debaixo do tapete as diferenças com o senador, líder do partido com o maior número de investigados na Operação Lava Jato.


Na pesquisa, logo em seguida está o nome do ex-governador Wilson Martins (PSB), com preferência de 7,31% dos eleitores ouvidos pelo BrVox. Em 2014, ele perdeu para Elmano Férrer (PMDB), e agora está disposto a mais uma vez tentar a vaga. Acredita que a onda que elegeu o “Vein” perdeu força, o cenário é outro. Seria esta a sua chance.

Ciro Nogueira (PP), que tentará a reeleição, somou 5,77% entre os entrevistados. Ele, que no último pleito majoritário ajudou Wellington Dias a novamente chegar ao Karnak, vem dizendo que irá manter o apoio ao governador. Mas para setores da oposição, o senador vai mudar de ideia até lá. Dias e Ciro vêm de uma sequência de abalos na relação (Impeachment de Dilma, eleições municipais e a quase indicação para o comando da Sesapi). Resta saber até quando haverá Band-Aid para cobrir as feridas entre os dois.

João Vicente Claudino – ainda sem partido – é o sexto melhor no levantamento. Somando 5,46%, está na frente de nomes como Robert Rios (PDT), Regina Sousa (PT), Assis Carvalho (PT) e Júlio César (PSD). No processo, é o que menos vem debatendo 2018 – pelo menos publicamente. Após ensaiar filiação ao PMDB, JVC recuou quando o partido voltou a dialogar com o Karnak. De lá, para cá, é recebendo convite de um e outro. Até agora, parece não ter aceitado nenhum.

Com 4,23% das intenções de voto, o deputado estadual Robert Rios dá duas coisas como certas: se manterá na oposição e será candidato a senador. Se precisar sair do partido para cumprir sua palavra, é quase certo que o fará, afinal o PDT pretende seguir a aliança com o governador petista. Logo em seguida, a senadora Regina Sousa (PT) tem 4,15%. Para a vaga na chapa, o nome da petista chegou a ser imposto por líderes petistas quando o PMDB começou a bater na porta do Karnak. Mas com tantos aliados neste barco, será difícil W.Dias reservar duas vagas na chapa majoritária ao Partido dos Trabalhadores.

Em seguida, estão os nomes de Assis Carvalho (PT) e Júlio César (PSD). Somaram 3,46% e 2,77%, respectivamente. Este último está – também – de olho em um espaço na chapa majoritária, ameaçado pelo PDT de Flávio Nogueira, que considera legítimo o pleito do partido. Os indecisos foram 16,15%, e os que responderam Nenhum/Nulo/Branco, 19,38%.

Fonte: 180/Cidadesnanet

CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: