Arquivo PVNN

Menu

Governador busca evitar fechamento de empresa de cimento em Fronteiras

O governador Wellington Dias declarou na tarde desta segunda (06), que vai abrir diálogo com o diretor da empresa produtora de cimento, Itapissuma, que comunicou em nota, a suspensão das atividades no município de Fronteiras.


O governador Wellington Dias declarou na tarde desta segunda (06), que vai abrir diálogo com o diretor da empresa produtora de cimento, Itapissuma, que comunicou em nota, a suspensão das atividades no município de Fronteiras.
Em depoimento, Wellington garantiu que vai receber o diretor Leonildes Alves, e pretende buscar condições necessárias para que a empresa continue operando. “Fui comunicado que a empresa iria suspender suas atividades por 180 dias, e que em outras regiões ocorreram alguns incidentes. O Governo do Estado, nesse momento, busca formas para garantir que essa empresa continue operando normalmente, e que seu possível fechamento não afete famílias com o desemprego”.

Ainda segundo o governador, existe um programa de fundo de aval, que é um mecanismo utilizado para concessão de garantias complementares à contratação de operações de crédito para financiamento de investimentos pelas empresas junto às instituições financeiras. Os fundos de aval podem ser formados com recursos de entidades públicas e privadas, que fomentam o desenvolvimento de micro e pequenas empresas que têm dificuldades no acesso ao crédito em função de não possuírem garantias suficientes à contratação de operações de crédito.
Em comunicado, a empresa informa que a partir do dia 06 de março de 2017, estará suspendendo temporariamente seus serviços em sua fábrica de cimento localizada na Fazenda Monte Alvão, município de Fronteiras. Segundo a empresa, tal suspensão deve-se ao agravamento da crise econômica que assola o país, em especial o ramo da construção civil.

Apesar do choque aos trabalhadores, a notícia já era aguardada. Há pelo menos três meses a empresa já não mais conseguia honrar os compromissos com os funcionários. Em meados de fevereiro os operários cruzaram os braços diante da situação.

A fábrica chegou a ser considerada uma das mais importantes do Nordeste e aproximou o PIB do município de Fronteiras à média nacional, atingindo o terceiro melhor patamar no Piauí. Pertencente ao Grupo João Santos, a fábrica foi montada na zona rural de Fronteiras, no limite com o município de Pio IX, próxima à localidade Quixaba, onde foi encontrada uma das maiores e melhores jazidas de mármore do mundo.

O presidente do SESI João Henrique Sousa comentou sobre o fechamento da fábrica em entrevista ao programa Jornal do Piauí, e culpou a administração do PT pela crise que acabou levando a empresa à medida extrema. “Um fato triste. É resultado do desmando do PT ao longo do tempo”, disse.

Fontes: Portal Meio Norte e Portal 180 Graus

Nas redes
Banner

Post A Comment:

0 comments: