Arquivo PVNN

Menu

Agricultores e sindicalistas de Vila Nova participam de manifestação contra a reforma previdenciária em Picos; evento reuniu cerca de dois mil agricultores


Cerca de 2.000 agricultores e agricultoras da região Vale do Guaribas percorreram as ruas da cidade de Picos, nesta terça-feira, 07, para protestar contra a reforma da previdência social, a PEC 287/16. O ato foi promovido pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Piauí (FETAG-PI), órgão coordenado na região por Sandra Leal de Vila Nova do Piauí e Liborio Rocha, do município de Sussuapara.

De Vila Nova, agricultores e sindicalistas participaram da manifestação contra a reforma da Previdência Social proposta pelo Governo Federal em tramitação na Câmara Federal, que eleva a aposentadoria para 65 anos de idade.

Com banners e cartazes contra as medidas da reforma previdenciária, os agricultores de Vila Nova junto aos demais movimentos sociais presentes, saíram em caminhada pelas principais ruas de Picos, fizeram uma parada na frente da agência do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), e seguiram até Câmara Municipal, onde foi realizada a maior audiência pública da história da Câmara de Vereadores de Picos, na ocasião os parlamentares aprovaram uma Moção contra a Reforma da Previdência.


As manifestações contra a reforma da previdência estão sendo realizada em todo país.

Para o movimento, diversas medidas sugeridas pela Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287 afetariam especialmente as trabalhadoras do campo sob alegação de uma suposta previdência deficitária, como a mudança na idade mínima, que se elevaria para 65 anos, e o fim dos regimes especiais, que levaria à igualação do tempo de contribuição entre homens e mulheres.


Sandra Leal, coordenadora da FETAG-PI na região de Picos e uma das organizadoras da manifestação se posicionou contrária a PEC e pediu a sensibilidade dos deputados, senadores no sentido de não aprovar a reforma. “Essa Reforma do jeito que está posta, é um verdadeiro desmonte de direitos dos trabalhadores e trabalhadoras brasileiros do campo e da cidade, o governo está querendo acabar com os sonhos dos homens, principalmente das mulheres, trabalhadoras rurais, que é a tão sonhada aposentadoria”.

Sandra foi enfática e afirmou não existir rombo na previdência como diz o Governo Federal. “Na Previdência Social não existe rombo, existe roubo. O governo não pode querer que os trabalhadores rurais e os demais trabalhadores pague a conta que as 600 maiores empresas do país, devem ao INSS”.


A Coordenadora conclamou a todos para lutarem contra a aprovação da mesma. “Precisamos sensibilizar os nossos políticos, pedir o apoio dos prefeitos, vereadores, governadores, deputados estaduais e federais, para está se posicionando contra a aprovação dessa reforma mostrando pra eles que se isso acontecer dessa maneira a economia dos nossos municípios vai piorar cada vez mais”, finalizou.

Participaram do evento diversos agricultores de Vila Nova, juntamente com toda a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, sendo eles: Antônia, Evaristo, Genilda, Giseuda, Evaristo, e seu Biu.

O Presidente do STRR de Vila Nova, Gilberto, e todo o Sindicato, defende a continuidade idade mínima para a aposentadoria como vem acontecendo homem aos sessenta anos e mulher aos cinquenta e cinco anos.







Fonte: cidadesnanet










Nas redes
Banner

Post A Comment:

0 comments: