Ex-primeira-dama Marisa Letícia tem morte cerebral e família doa órgãos


A ex-primeira-dama e mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, dona Marisa Letícia Lula da Silva, 66, teve morte cerebral nesta quinta-feira (2) em razão de complicações causadas por um AVC (Acidente Vascular Cerebral) hemorrágico.

Ela estava internada em estado grave no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, desde 24 de janeiro, mas o quadro acabou se agravando na tarde desta quarta (1º), com a redução da atividade cerebral.

O ex-presidente Lula escreveu nas redes sociais, na manhã desta quinta-feira (2/2), que a família já autorizou os procedimentos preparativos para a doação de órgãos da ex-primeira-dama Marisa Letícia. No início da noite desta quarta-feira (1°/2), ela teve uma piora no seu quadro clínico e voltou a ser sedada, segundo informou o médico Roberto Kalil Filho, chefe da equipe do Hospital Sírio-Libanês que cuida da paciente.

As equipes médicas realizaram um exame chamado doppler transcraniano, que constatou que Dona Marisa tem ausência de fluxo cerebral, segundo o boletim médico mais recente, divulgado nesta manhã pelo Hospital Sírio-Libanês.

Boletim Médico – Marisa Letícia Lula da Silva

Publicado em 02/02/2017 10:25
A paciente Marisa Letícia Lula da Silva permanece internada na UTI do Hospital Sírio-Libanês. Na manhã de hoje foi realizado Doppler transcraniano, sendo identificada ausência de fluxo cerebral.

Diante do resultado, com autorização da família, foram iniciados procedimentos para doação de órgãos.

As equipes que a acompanham são:

Coordenação – Professor Dr. Roberto Kalil Filho
Neurologia Clínica – Professor Dr. Milberto Scaff
Neurocirurgia – Dr. Marcos Stávale
Neurorradiologia – Dr. José Guilherme Pereira Caldas

Atualizada às 9h

A ex-primeira-dama Dona Marisa Letícia Lula da Silva teve uma piora no seu quadro clínico no início da noite desta quarta-feira (1º) e voltou a ser sedada, segundo informou o médico Roberto Kalil Filho, que chefia a equipe do Hospital Sírio-Libanês que cuida da paciente. O sedativo tinha sido retirado na terça-feira (31).

No final da noite, um exame realizado chamado doppler constatou que Dona Marisa tem circulação mínima de sangue no cérebro. Os médicos vão seguir monitorando as atividades cerebrais da paciente e fazer uma nova avaliação.

Depois que foi retirado o sedativo, o estado de saúde de Dona Marisa piorou. Kalil disse que o quadro de Dona Marisa é irreversível.

A pressão intracraniana aumentou, a inflamação no cérebro também. Ainda segundo o médico, Dona Marisa continua tendo vasoespasmos. No fim da noite, ela passou por exame para verificar o fluxo sanguíneo no cérebro.

A mulher do ex-presidente Lula está internada desde o dia 24 de janeiro depois de ter sofrido um acidente vascular cerebral hemorrágico provocado pelo rompimento de um aneurisma.

Lula está no hospital na região central de São Paulo para acompanhar o tratamento de Dona Marisa.

Fontes: G1 e Correio Braziliense
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: