Com greve, governo planeja pedir reforço de policiais civis à Força Nacional

05 junho

Com a decisão dos policiais civis de manterem a greve no Piauí, o Secretário Estadual de Segurança Pública, Fábio Abreu, anunciou nesta quinta-feira (04) que pode acionar a Secretaria Nacional de Segurança Pública. O objetivo é pedir o envio de policiais civis que compõem a Força Nacional caso o movimento grevista se mantenha por muito tempo.
Agentes, peritos e escrivães estão em greve desde o dia 26 de maio, mas, de acordo com o secretário, o Governo não foi comunicado oficialmente. Os grevistas querem o pagamento integral do reajuste, que era para ter sido efetivado em maio. Já a administração estadual se nega a conversar com os policiais enquanto eles estiverem em greve.
Outra medida que o Governo planeja para a próxima semana é o pedido de decretação da ilegalidade da greve. “Não houve comunicado formal e a Procuradoria Geral do Estado já está com o pedido feito”, disse o secretário Fábio Abreu.
A proposta apresentada pelo governo é de pagar em janeiro a segunda parcela do reajuste previsto para maio (a primeira foi paga naquele mês) e o reajuste integral que já estava previsto para novembro. A categoria, entretanto, quer o pagamento da segunda parcela de maio em agosto e a garantia do pagamento de novembro.
Eles reivindicam ainda as promoções e a igualdade no pagamento de diárias entre policiais e delegados. Segundo Fábio Abreu, essas solicitações já foram acatadas pelo Governo. “As promoção que já estão com pedido feito na Secretaria de Governo serão dadas em junho. Pagaremos as diárias de forma igualitária e a insalubridade, mediante um laudo que comprove essa condição. O acréscimo no valor do ticket alimentação também foi proposto. Em relação aos peritos, a gratificação que foi retirada em janeiro será integrada ao salário e paga de forma retroativa”, disse o secretário.
Enquanto o impasse não é resolvido, a Delegacia Geral, na Praça Saraiva, está em regime de plantão para fazer registro de Boletim de Ocorrência. Os flagrantes serão feitos na Central pelos policiais civis que não aderiram à greve.

Portao O Dia
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: